Voo de Balão

A mobilização para o voo de balão começa cedinho. Mas um súbito despertar acontece por conta do interesse inevitável que surge ao acompanhar o enchimento do balão. Deitado no chão, ele toma forma e se ajeita na posição vertical com a ajuda dos balonistas.

Cheio e de pé, é hora de encher o cesto, que, feito de vime, parece uma cesta de piquenique com divisórias internas: o comandante e seus cilindros de gás ficam no meio, separando as duas turmas.

Todos a bordo, é hora de ir às alturas, flutuando, seguindo junto o vento com suavidade. Nem rápido demais nem devagar demais, na velocidade certa para contemplar as lindas paisagens de um ângulo novo.

Depois de quase uma hora flutuando, chega a hora do pouso. Suave, no meio de um pasto, a equipe de resgate logo chega, esvazia e recolhe o balão.
E para finalizar, uma tradição centenária: um brinde para comemorar o sucesso do voo sobre as brumas da Serra da Moeda.

Site: www.voedebalao.com.br